• Museu MUCAI

BLOCO 03 - Akpalôs: contadores de histórias de tradição oral africano-brasileira

Período: 24 a 29/06/2018



Quem é o(a) contador(a) de histórias de tradição oral?




“[...] o contador de histórias africano-brasileiras é um educador de sabedorias africanas, que utilizando a linguagem das narrativas africanas, socializa acontecimentos referentes a valores que trazem ensinamentos. Nesse processo, esse representante tem relevância pela aproximação com a descendência cultural africana no Brasil e pelas possibilidades de valorizar, preservar e disseminar o conhecimento despertado pelas memórias de uma diversidade de africanias” (REIS, 2017, p. 52)*.

Em algumas civilizações africanas, a exemplo do Senegal, os contadores de histórias são chamados de griots. Contudo, aqui no Brasil, nomeamos esta representatividade por meio de uma palavra de origem iorubá: akpalô.


*REIS, Larissa de Souza. Museu Virtual de Contos Africanos e Itan: contribuições à implementação da Lei nº 10.639/03. 2017, 273f. Dissertação (Mestrado em Educação e Contemporaneidade) Departamento de Educação – Campus I, Programa de Pós-Graduação em Educação e Contemporaneidade - PPGEduC, Universidade do Estado da Bahia, Salvador, 2017.



ATIVIDADE: Vamos ao jogo improvisacional: memória, conto e ação!


Conte-nos uma história que esteja relacionada a cultura afro-brasileira e seja o(a) nosso(a) akpalô! Você pode contar uma história criada por você, contar uma história conhecida (indicando o autor) ou até mesmo contar a sua própria história de vida! Você pode também criar o(a) seu(sua) próprio(a) akpalô..qual será o nome dele(a)?


**Elementos importantes para a seleção da história:
-Quem? Quem são os personagens da história? Selecione..
-Onde? Onde se passa a história narrada por você?
- O que? O que se passa na narrativa?

*ORIENTAÇÕES:


1-Produza um akpalô utilizando materiais de sua preferência;

2-Digite a sua história no campo de comentários.

-Utilize um aparelho (celular/máquina fotográfica) para capturar uma foto da sua criação artística e publique-a no campo de comentários, juntamente com o texto da história.

-Conte a sua história por meio da gravação de áudio e envie para o nosso e-mail: museuafricaqui@gmail.com

157 visualizações7 comentários